© 2017 por Waleska Barbosa. Orgulhosamente criado com Wix.com por Mauro Siqueira.

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round

SIGA

  • Facebook Clean Grey
  • Twitter Clean Grey

POSTS RECENTES: 

15.01.2020

13.01.2020

16.12.2019

Please reload

PROCURE POR TAGS: 

Please reload

QUEM SOU EU?

Waleska Barbosa é filha de Maria e Manoel Barbosa e tem 11 irmãos. É mãe de Morena,  6 anos. Nasceu em Campina Grande-PB,  onde cursou Comunicação Social,  na Universidade Estadual da Paraíba. Desde 2000,  mora em Brasília,  cidade que ama. É onde se apaixonou por samba,  choro,  fez amigos maravilhosos e frequenta a cena cultural. Trabalhou em jornais impressos,  organismos governamentais e não governamentais,  geralmente ligados a temas sociais. Gosta de cantar e escrever. Tem o lema: a vida é agora!

15.01.2020

Ela é considerada a “rica” da família.

Contou-me isso. Como quem não acredita na alcunha. Mas ao mesmo tempo vê nela algum sentido. O de que faz jus aos seus esforços. Ao enfrentamento de tudo o que se colocou no seu caminho, como que para barrar sua existência e, estar...

13.01.2020

Olha aqui. Meu corpo não tem Photoshop. Tem marcas. Cicatrizes. Buracos. Calos. Cansaços. É revestido por pele preta.

Olha aqui. Não sou bibelô. Tenho unha descamada. Sinal de carne. Deficiência de ferro mal curada. Cabelo branco. Mancha branca no queixo – nunca diagnos...

09.01.2020

Saudei o novo ano. Batendo palmas. Dando vivas.

Pés no chão.

Chão batido. Da Vila. De São Jorge. Nem no baixo. Nem no meio. Mas no Alto Paraíso.

Eu podia ter proclamado.

Eu estou vestido
com as roupas
e as armas de Jorge
para que meu inimigos
tenham pés e não me alcancem
p...

09.01.2020

O tempo é uma ilusão.

O tempo – grande curandeiro – pode ser ilusão. Mas só quando se torna grande curandeiro.

Antes, afobado. Apressado. Impaciente. É um desatador de nós. Deixa pontas soltas. Nas quais se tropeça sem saber a razão.

Só quando ele passa. Ou se passa por e...

06.01.2020

Ela não entendeu o pedido de perdão.

Vinha cheio de súplica – esperando um sim antecipado.

A ênfase. A repetição. Eram estratégias para nem o motivo precisar ser revelado.

Mas ela não entendeu o pedido de perdão.

Fez perguntas buscando sua gênese.

A resposto veio em forma d...

27.12.2019

Quando estou muito atenta. Consigo evitar.

Quando desavisada, recaio em algo que considero um erro/desvio/falha da minha personalidade.

Não gosto ou não sei planejar coisas. Acredito que o acaso vai me proteger enquanto eu ando distraída e vou acumulando pequenos tropeço...

26.12.2019

Faltava energia na minha casa há horas. Eu tinha esperado desperta por sua volta. Mas já alternava cochilos com descrença, fora o não conseguir fazer minha reclamação à companhia energética da cidade, quando o telefone, gastando seu último pingo de bateria, tocou. Era...

16.12.2019

Não gosto de ler críticas sobre filmes badalados antes de vê-los.

Assim, só conhecia o nome 'A vida invisível', quando decidi reinaugurar minhas idas ao cinema aos domingos.

E que nó na garganta. E que vontade de chorar. Gritar. Soluçar alto. No lugar de tudo o que conti...

29.11.2019

Talvez quisesse falar difícil.

Talvez quisesse ser duro.

Talvez buscasse solução definitiva.

Talvez imaginasse ser mágica.

Talvez estivesse enganado.

Talvez aquele som lhe fizesse bem aos ouvidos.

Talvez procurasse um dicionário, se soubesse existir.

O menino agitava os braço...

28.11.2019

E eu.  Eu estico as pernas no sofá. Eu dou um sorriso de canto de boca ou de boca escancarada – não sei mais – fecho o livro. E repito o esparramar-me. E repito o sorriso que não sei o tamanho. E fecho o livro. Sentindo-me divertida. E leio a palavra. Crônica. Então al...

Please reload