Please reload

PROCURE POR TAGS: 

05.08.2020

04.08.2020

11.07.2020

07.07.2020

11.03.2020

Please reload

POSTS RECENTES: 

SIGA

  • Facebook Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • Instagram Clean Grey

ORAÇÃO DE MIM

17.04.2019

Deusas, Deuses e Orixás.

 

Senti vontade de uma oração. Egoísta. Retrato meu. Da minha alma. Avesso. Com suas mãos invisíveis, me revirem e me coloquem de volta no lado certo.

 

Deusas, Deuses e Orixás.

 

Quero força. Estranha. Tamanha. Que permita que eu não me encolha. Não me apequene. Não seja engolida. Submersa. Submetida. 

 

Deusas, Deuses e Orixás.

 

Ajudem-me. Daqui desse meu lugar. Do que ocupo. Do que desejo ocupar. A ver a beleza da vida. Sua faísca. Não permita, Deus, que eu morra, sem que eu volte para lá. Lugar de poucas exigências, excesso do bom do bem do belo. Não permita, Deus, que eu morra, sem que eu possa respirar.

 

No balcão da farmácia, um bilhete. “Não desista. Alguém pode estar se inspirando em você”.

 

Fiquei intrigada com aquele papel. Olhando. Papo reto. Para mim.

 

Tomara que sim. Deusas, Deuses e Orixás.

 

Porque, do lado de cá, tenho estado mais perto de pirar. Expirar. Parar.

 

Sem força. Sem ânimo. Sem ímpeto para guerrear.

 

Você não é agressiva. Não vai sobreviver a Brasília. Foi o que ouvi quando cheguei aqui. Mas sobrevivi. Deusas, Deuses e Orixás. Vocês são testemunhas. Estou aqui.

Desse jeito meu mesmo. Fala mansa. Palavras guardadas na garganta. Tossindo e cuspindo catarro. Pulmões que ardem. Ressentidos. Adoecem quando em vez. E acho tão incompreensível.

 

Nunca quis muito. Será que esse é meu erro? Não são perdoados os que não ambicionam além de pequenas alegrias? Será falta muito grande restringir o espaço ocupado? Será que não entra no céu quem não almeja infernos?

 

Falem comigo, Orixás, Deuses e Deusas.

 

Eu fui à farmácia. Buscar uma droga. Precisava me acalmar. Os ombros ardem. Ressentidos. Adoecem quando em vez. E acho tão incompreensível. Por que me arruínam as palavras engolidas?

 

Respondam agora, Deusas, Deuses e Orixás.

 

Eu quero olhar mais para o céu. Mirar as estrelas. Quero estar no alto. Para enxergar  em perspectiva. Saber o real tamanho das coisas. Não ver monstros ondem restam apenas sombras.

 

Quero estar no tempo/timing certo. É pedir demais, transformar inimigo em afeto?

Deusas, Deuses e Orixás.

 

Desse infinito que há em mim, eu quero tocar as bordas. Ver a linha do horizonte. Não sou eu quem me navega. Estou prestes a naufragar.

 

Eu vim aqui me ajoelhar. Nessa vida tão bonita. Nessa vida tão sofrida.  Desse sopro de estupor, não permita, Deus, que eu morra, sem que eu possa me transformar. Sem que eu seja sol. Sem que possa iluminar.

 

Deusas, Deuses e Orixás.

 

Escutem, aí, minha prece.

 

Eu quero discernimento.

 

Eu quero grito e silêncio.

 

Eu quero me expressar.

 

Eu quero tudo o que importa. Preciso abrir as comportas. O inútil extravasar.

 

Deusas, Deuses e Orixás.

 

Quero só paz insurgente.

 

Lutar com unhas e dentes.

 

Pra ver a banda passar.

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017 por Waleska Barbosa. Orgulhosamente criado com Wix.com por Mauro Siqueira.

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round